Tecnologia a serviço público mesmo!

Posted in Comportamento by Colaborador on 03/06/2007

celular

Até onde é capaz de ir a loucura da mente humana? Ninguém conseguiu definir este limite ainda. E, pelo avanço da tecnologia praticamente a velocidade da luz (tá, do som), não vai definir tão cedo. Mas e o que tem a ver a tecnologia com a loucura humana? Tudo! Até porque, com tudo que inventam por aí só sendo louco mesmo…

Mas o objeto de análise neste momento nem é algo tão inovador: é o simples telefone celular. Hoje ele um equipamento indispensável para 90% da população mundial, ou quase isso. O restante não tem celular porque não pode meeeeeeeeeeesmo, ou porque não quer – esta última é uma atitude que eu admiro muito, diga-se de passagem.

Voltando aos humanos (o motivo real deste texto), é possível verificar uma vasta variedade de seres desta espécie observando apenas seus telefones celulares. Só para constar, antigamente se dizia que se você quisesse conhecer uma pessoa bastava verificar o seu lixo. Hoje apenas verifique o seu celular. A cada mês são lançados no mercado lotes de lançamentos que fazem sempre alguma coisa diferente: fotografam, filmam, cantam, dançam e só falta fazer café. E com todos esses recursos a galera se solta.

Tem mais! Clique aqui »

É possível encontrar muita coisa nestes pequenos aparelhos eletrônicos.

Música: de um tudo, menos algo que preste. Infinitas versões de funks, músicas sertanejas modificadas por programetes de computador, toques que se alastram via Bluetooth e que chegam a causar certo constrangimento quando acionam-se em locais públicos (do tipo “atende essa porra aí viaaaaaaaaaaaaaaado”).

Vídeos: de um tudo, menos algo que preste. Não há muita variação neste caso, a maioria esmagadora dos casos é de pequenos vídeos baixados da internet de apelo sexual. Mas sempre tem a vovó fazendo careta, o bebê tomando banho e aquele passeio a dois lindo naquela noite, e que virou uma seqüência de vídeos de tela preta.

Fotos: agora sim, a diversão (ah, tem de um tudo também, menos algo que preste). É aí que mora o perigo. Ninguém imagina a que ponto chega a bizarrice da mente humana. Todo mundo hoje quer ter uma câmera digital, então porque não unir o útil ao agradável, literalmente? Foi nisso que pensaram os criadores quando uniram telefonia e fotografia digitais no mesmo aparelho. Mas ninguém pensou no que os humanos, esses seres, seriam capazes. É possível encontrar novamente a vovó, o bebê, e também várias versões do Kama Sutra, por exemplo. Mulheres tornam-se as “capas da Playboy do mês”: é foto no chuveiro, na cama, com pouca roupa, sem roupa nenhuma, de todos os ângulos (todos MESMO). Os homens também não perdem a oportunidade de se exibirem, no melhor estilo pavão de ser. E não precisa exemplificar muito. É suficiente dizer que muito anjinho que você conhece adoraria aparecer numa G Magazine…

Pornografia é a coisa mais recorrente. Tem também uma galera que acha o máximo fotografar o churrasco da laje, o namorado de sunga no meio das pedras de uma praia por aí, mas a coisa mais estranha é foto de velório. É isso mesmo, velório. Você já viu alguém tirar foto de velório? Pois é, nem eu. Mas acredite, existe mente tão desnorteada que chega a esse ponto. O coitado do morto imortalizado numa pequena foto de um pequeno aparelho que eu espero que tenha passado despercebido da família do sujeito…

Se você leu até aqui deve estar pensando que eu sou uma louca que espiona a vida alheia né? Bem, eu até o faço, mas com o consentimento das pessoas, portanto, não sou uma fora-da-lei, e muito menos uma mal-educada fuxiqueira. Telefones quebram, alguém precisa arrumar. Eu cuido dessa parte. Verificando tantos celulares com tantas estranhezas cheguei a uma conclusão, um pouco óbvia até, mas que é comprovada pelas evidências supra citadas: as pessoas têm necessidade de quebrar padrões. Esse pequeno aparelhinho mostra aquilo que as pessoas fazem escondidas, mostra com o consentimento delas. É como se o cidadão portador daquele aparelhinho dissesse: “olha só, eu posso fazer isso, ou aquilo”.

Bem, eu não sou contra, acho que cada um pode fazer o que quiser, mas, por favor, vamos nos respeitar. Também não quero dar uma de puritana, defensora da moral e dos bons costumes, mas o que acontece é que o bom senso está se perdendo. Tire as suas fotos, faça os seus vídeos, não há mal nenhum nisso, mas guarde-os para você. Isto é só um texto, não identifica e não ofende, mas a hora que a tua estripulia aparecer no Youtube, não diga que eu não avisei…

Aline Camargo
Que trabalha em uma assistência técnica de celulares

Anúncios

9 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Francisco - o acelulado said, on 03/06/2007 at 1:50 am

    Eu não tenho porque não quero. =D

  2. William said, on 03/06/2007 at 2:59 am

    Eu tenho porque eu preciso.
    Eu tenho porque sou filho unico, e moro com a minha mãe apenas.
    Ela só está esperando o GPS baratear pra instalar um em mim pra me rastrear.
    IUSDHiuoSAduioAHSIUODhaSOIUDHuiasd

    :]

  3. Raquel said, on 03/06/2007 at 2:02 pm

    Eu tenho, mas quase não uso. Nem sou adepta de bater papo ao telefone e quando preciso uso o telefone fixo. O meu “celulítico” é apenas para as “missões impossíveis” da família ou algum trabalho, tudo muito rápido… Até que dá para viver sem celular, mas ele agiliza o contato e se pode ligar de qualquer local, desde que se tenha sinal e/ou créditos.

    Parabéns Francisco por não ser escravo da tal tecnologia. Seu bolso, saúde e intimidade agradecem! =D

  4. Iarinha said, on 03/06/2007 at 3:54 pm

    Interessante. Pra mim celular serve pra uma coisa: ligar e receber ligações (e despertar também, acredite! rs). Meu celular praticamente só serve de despertador e pq me sinto segura ao sair com ele, caso eu precise de algo. Toque? Pretty Woman kakaakakakak No mais, concordo com você. A mente humana e a tecnologia desse mundo louco é algo sem limites, e isso realmente me assusta um pouco…

  5. romeuuu said, on 03/06/2007 at 4:27 pm

    eu fazia parte daquela minoria que não tinha celular por que não queria . ai fiz um trabalho pra uma empresa de celulares e tive que ganhar um na marra. mas por enquanto ele só ta servindo pra ouvir musica, receber e fazer ligações e fazer fotos de coisas bizarras da tv – coisa que eu to adorando fazer por que o resultado é muito bom hahaha. otimo post! 😉

  6. Aline said, on 04/06/2007 at 12:01 pm

    Que bom que vcs não são dependentes dos seus “aparelhinhos”, mas fiquem certos que são minoria meeeeeesmo…

    Ah Will, já tem celular com GPS tá!

    Bjssss

  7. Sal said, on 04/06/2007 at 12:07 pm

    é cada uma que parece duas! hehehehehe!
    cara eu relutei em ter celular até onde pude. tanto que o meu é relativamente novo. dois aninhos apenas! antes nunca tive!

  8. ZZZ... « Pega no meu Blog! said, on 04/06/2007 at 2:32 pm

    […] Tem mais! Clique aqui » […]

  9. […] Tem mais! Clique aqui » […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: