Caindo na Real

Posted in Esporte by Colaborador on 16/06/2007

Na quinta-feira, no jogo antecipado pelo campeonato brasileiro, Botafogo e Vasco tiveram um encontro marcado no Maracanã. A equipe botafoguense passeou em campo. Comandada por Dodô, enfrentou um Vasco da Gama apático, inexpressivo e sem qualquer postura de um time líder do campeonato. E não deu outra, o fogão venceu a partida por 4 a 0, fora o show.

Embalados pelo oba-oba da goleada aplicada no expressinho do Grêmio, o Vasco entrou em campo como líder e saiu como uma satisfatória terceira colocação. Eu digo satisfatória porque aquela ilusória liderança-cruz maltina, com certeza era passageira. Não havia dúvidas que, mais cedo ou mais, tarde o Vasco cairia na real, e foi ontem.

A goleada aplicada pelo o Botafogo fez com que a torcida acordasse pelo menos para uma coisa, a saída de Eurico Miranda. Torcedores em coro gritavam “Fora Eurico”.

Só espero não ouvir mais vascaínos dizendo “somos líder”, “o time tá bem” e o que mais me dói é “esse ano vamos ser campeões”. Só digo uma coisa, com o Celso Roth no comando, esse ano o Vasco tem é que tomar cuidado para não cair.

E como faz o Breno, eu vou de rapidinhas:

* Boca Juniors – Prefiro não me alongar muito, porque o texto que eu fiz sobre o Boca dias atrás, teve gremista que não gosto. Peço desculpas, pois me equivoquei naquele texto. Deu tudo errado: nem o Boca ganhou, muito menos o Riquelme deu aula de futebol — eu até achei ele apagado na partida, vai vê foi a gripe que não deixou ele jogar melhor.

* Botafogo – O time está jogando redondinho graças ao trabalho realizado pelo técnico Cuca. E por falar em Cuca, nem os milhões da Arábia o seduziram — um time árabe ofereceu o dobro do que ele ganha no bota, mas Cuca disse que fica.

 

Victor Bini de Bona
Que agradece a Dodô & Cia por fazer o time do Vasco cair na real

 

Anúncios

Linkar o mundo é ligar idéias

Posted in Editorial by Colaborador on 16/06/2007

O lance mais legal na internet é linkar. Não levar em consideração isso é algo leviano. Lamentar não é a luz no fim do túnel. Levantaremos, assim, uma relação de todos os espaços de leituras e posts pessoais – os blogues. Isso já latejava em nossas idéias, de ter um lugar aqui no Pega no meu Blog com uma lista de links. Confira lá abaixo das categorias…

Deixe nos comentários o endereço do seu blog ou outra indicação.

Dos pampas para Sampa

Posted in Música, Relato by Colaborador on 16/06/2007

Em duas noites, 30 e 31 de maio, os Engenheiros do Hawaii apresentaram-se no Citibank Hall, em Moema, zona sul de São Paulo, pela primeira vez em 2007. Nesse show, foram gravados os novos CD e DVD da banda de pop/rock gaúcha, inicialmente chamados de “Acústico 2”. Segundo Humberto Gessinger (vocal, violão, dobro, bandolim, viola caipira, gaita e piano), líder e único remanescente da formação original, o trabalho atual é uma continuação do “Acústico MTV”, de 2004.

O show foi maravilhoso. Todos animados e cantando, até pulei e gritei muito. Carlos Maltz arrasou cantando Cinza e, no final, encerrando o show, Depois de Nós, que me fez chorar. Até Clara Gessinger conseguiu arrasar em Pose. Teve também um mix de Perfeita Simetria com O Papa é Pop. Já o segundo dia começou com Toda Forma de Poder, seguido de Vertical. Acompanhado de piano, além de Novos Horizontes (que esteve nos dois dias), tocou também Luz e Piano Bar.

Pra Ser Sincero arrasou nos dois dias. Não Consigo Odiar Ninguém foi, segundo o próprio Beto, a melhor música do show e a melhor performance do público. Mas foi gravada duas vezes por um “problema técnico” na primeira. Das novas, ficaram de fora Plano B e Pra Quem Gosta de Nós. Faz de Conta foi outra que arrasou. Não teve “a pior”. Foram todas lindas, perfeitas, maravilhosas. Mesmo quando ele errou a letra em No Meio de Tudo, Você, ainda assim foi lindo.

Agora falando sobre o pré-show, completei minha missão. Fotos com todos os músicos da banda, inclusive com a Clara, na qual poucos conseguiram tal façanha. Na maioria das oportunidades foram poucas trocas de palavras, mas acabei meio que ficando amigo do Fernando Aranha (violões), que uma semana depois, em um show em Indaial, lembrou-se de mim e deu-me a palheta prometida lá em São Paulo. Mas voltando a falar da gravação, foi tudo perfeito mesmo, e sem duvidas o dia mais feliz de toda minha vida!


Exclusivo: Humberto e Clara - Parabólica (Citibank Hall)

 

Filipe Bagio Pfeiffer
Que saiu de Presidente Getúlio, Santa Catarina, para ver o show