Saneamento Básico, o filme

Posted in Cinema by Sal on 25/07/2007

E nem só de blockbusters como Transformers, vive o cinema em nosso País. Nã nã ni nã não!!! No Brasil a produção de filmes nacionais vai muito bem obrigado. E dessa nova safra de filmes que estão em cartaz, um merece destaque sem dúvidas. Se não pelo elenco, com certeza pelo diretor que vem destacando-se no mercado há alguns anos.

Saneamento Básico – O Filme (Brasil – 2007), dirigido e roteirizado pelo gaúcho Jorge Furtado, autor dos excelentes Meu Tio Matou Um Cara e O Homem Que Copiava, além do famoso e premiado curta-metragem Ilha das Flores, traz no elenco a dupla Lázaro Ramos e Wagner Moura, Camila Pitanga, Fernanda Torres, Bruno Garcia, Tonico Pereira e Paulo José.

O longa-metragem trata de um problema de esgoto a céu aberto, que uma vila na serra gaúcha vem enfrentando. Como a prefeitura não enxerga o caso como prioridade, os moradores do local não dispõe de recursos para construção de uma fossa que elimine a vala. Porém o governo federal oferece uma grana em um concurso de curtas-metragens a novos realizadores. Surgem Marina e Joaquim (Fernanda Torres e Wagner Moura) para dar cabo do projeto.

O tema sugerido para o curta-metragem é absurdo e engraçado. Uma ficção científica com monstro. Zico, interpretado por Lázaro Ramos e que serve de alter-ego do diretor, rouba a cena, literalmente no set de filmagens do curta que estão produzindo. Ele chega para agitar o local e consegue.

Com a função de produzir o curta e receber a verba, surgem as reviravoltas na trama, uma comédia bem ao estilo de Furtado, que estreou seu primeiro longa em 2002, com o filme Houve Uma Vez Dois Verões. Em Saneamento Básico há um traço marcante nos filmes do diretor, os diálogos afiados, rápidos e instigantes, soando de forma natural na boca dos personagens, provando que Furtado trabalha muito bem seus atores. Lázaro Ramos, por exemplo, um já consagrado ator, nas mãos do diretor cresce, se supera, rende o seu melhor.

Usando e abusando da metalinguagem (recurso muito utilizado pelo diretor em seus filmes) Furtado aproveita e alfineta o financiamento público da cultura. Os personagens questionam: “como o governo pode dar dinheiro para o cinema se as pessoas não têm esgoto?”.

O filme teve sua estréia nacional em 20 de julho e consolida o nome de Jorge Furtado no panteão dos grandes diretores brasileiros. Merecidamente.

 

 

Ariston Sal Junior
Que é fã de Jorge Furtado e prestigia o cinema nacional

 

Anúncios

4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Raquel said, on 25/07/2007 at 2:07 pm

    Vi em algum canal, acho que na Globo, sobre o filme…

    Boa diversão e boas risadas garantidas! Nada como um filme educativo, leve e sério para nos encher de otimismo!

    Gostei da dica! 😀

  2. Sal said, on 25/07/2007 at 2:21 pm

    raquel, grande raquel…. sempre prestigiando o blog!
    valeu menina!

    então, Jorge furtado é garantia de boa comédia. dá para ir sem medo!

    bjs

  3. Raquel said, on 25/07/2007 at 4:58 pm

    Sempre alerta!!! 😀

  4. Volt said, on 26/07/2007 at 6:55 am

    Quero assistir, parece ser mto bom!

    PS: Curti a imagem do cabeçalho, Kill Bill é mto bom!

    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: