O Desafio de Ser Uma Criança Grande

Posted in Crônica by Sal on 12/10/2007

Nescau de caixinha, Danoninho e Passatempo pela manhã e batata frita no almoço só me fazem lembrar de calorias e gordura trans. Alguma coisa está errada! Ninguém aparece para me obrigar a ir à aula quando eu só queria dormir mais cedo abraçado com o meu Snoopy de pelúcia. E ninguém foi explicar pra professora que eu faltei porque estava com febre.

O medo de dormir sozinha não é o suficiente para que eu chame a minha mãe e um pesadelo cheio de monstros e fantasmas não é assunto para discutir com os colegas de trabalho. Mas ao redor da caixa de areia seria eu garanto!

Os amigos de infância não contam como referência para o novo emprego. Uma pena, porque eles falariam muitas coisas legais a meu respeito. Inclusive como sou criativa para elaborar estratégias de desenvolvimento e simulação de habitat nas brincadeiras que inventávamos.

Trocar de escola várias vezes e pintar as paredes de casa com giz de cera não contam como experiência. Tirar nota baixa não é motivo para temer um castigo, nem a adrenalina do boletim existe mais. E não pense em ler gibis – eles só mostram o quanto você é desinteressado.

Todo mundo vai comentar se você colocar a roupa mais confortável que tiver, que por coincidência é aquela que menos combina, que tem em cada peça uma cor e estampa diferente. Ir ao cinema ver “Irmão Urso” sem um primo de cinco anos ao lado é estranho. E não pense em vibrar com a história junto com as crianças menores que você.

Sorte daqueles que podem soltar pipa e brincar de bate-manteiga num dia como esse. Mas, e como ficam aqueles que precisam aproveitar o feriado para organizar as coisas que não conseguiram fazer durante a semana? Ser criança hoje em dia é um desafio, ainda mais quando não se tem nem mais idade para isso.

 

Marina Fiamoncini
Que deseja um Feliz dia das Crianças a todos nós

Anúncios
Tagged with:

8 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Raquel said, on 12/10/2007 at 8:19 am

    Marina o que é brincar de bate-manteiga?! Acho que não sou dessa época! Ahahahahaha!

    Ser criança em qualquer idade no século XXI é muito difícil. Não se fazem mais espaço como nas décadas de 70 a 90. É muita tecnologia e pouca criatividade. O tempo, esse nem existe mais! E não é porque já somos adultos, e sim pela sociedade de consumo extremo na qual vivemos…

    Uma constatação pessoal minha: eu comia batata frita, bife, comia açúcar até dizer chega, guloseimas aos montes, não comia verdura ou legumes e havia problemas de colesterol, glicose, gordura trans, obesidade… Quer saber?! Os valores é que mudaram e para pior!!!!

    Ninguém sabe ser como as crianças daqueles tempos do século XX… Lamentável!!!

    Falar da minha infância me deixa saudosista. Volto a sentir os cheiros, os gostos, as sensações daqueles anos de ouro… 😉

  2. Larissa Tietjen said, on 12/10/2007 at 10:47 am

    Marina, virei sua fã. Amei seu texto. Mesmo, mesmo!

  3. […] desafio de ser uma criança grande Posto aqui o link e reproduzo o texto da Marina Fiamoncini, que diz exatamente o que eu sinto. A Marina é acadêmica […]

  4. pedroserra said, on 14/10/2007 at 11:59 am

    Repito aqui o post que deixei no blog da Larissa Tietjen, o Releitura, que fez um link para o seu texto… se comentei lá, tinha que comentar no original também, né…

    ——————-
    Como diria Oscar Wilde, “Viver é a coisa mais rara do mundo, a maioria das pessoas apenas existe”. Estou muito feliz que vou ter um filho, pois vou poder usá-lo como desculpa para fazer um monte de coisas que não posso mais fazer, pois já sou “adulto”… já estou até vendo:

    -”filho, vamos soltar pipa?”

    – “ah paiê, não estou a fim…”

    – “tem certeza, meu filho? Olha, já tá tudo aqui… linha, rabiola, cerol… é só ir lá fora.”

    – “agora não… estou assistindo a Xuxa.”

    – “ahhh… vamos lá… é só um pouquinho”

    – “bom, vai indo que eu já vou… ou então chama o Joãozinho, meu amigo. Garanto que ele quer ir. Agora me deixa que ela vai cantar Xu-Xucão!!!”

    hehehe… meu filho terá a missão de acalmar esta criança há muito reprimida dentro deste meu corpo de adulto. Tadinho, já nasce com uma responsabilidade.

  5. Jean said, on 14/10/2007 at 9:55 pm

    Juro não amolar. Vou fazer o óbvio. Mas preciso fazer depois do que acabo de ler.

    Parabéns.
    Sem mais – ao menos por enquanto.

  6. Marina said, on 14/10/2007 at 11:44 pm

    hahaha
    que coisa boa Pedro!

  7. Fábio Ricardo said, on 15/10/2007 at 10:36 am

    eu nunca entendi esse negócio de caixa de areia. Desde de pqno já achava meio anti-higiênico. Me perguntava sempre “caixa de areia não é onde os gatos fazem cocô?”. Por isso mesmo nunca tive coragem de brincar lah dentro.

  8. Felipe said, on 15/10/2007 at 10:46 am

    Uauuu Marina!
    Belo texto. Sabe que há muito tempo penso em escrever sobre minha infância? Ainda não escrevi, mas quem sabe um dia.. HAHAHAHAH!!
    Queria ser criança novamente.
    Beeijos!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: