Com Todas As Letras

Posted in Literatura, Poesia by Sal on 23/08/2008

Eu, que não pertenço a mim quando estou em seus braços
Em nosso ritmo acelerado
num jogo de corpos suados
Quando minha boca sedenta implora tua língua afiada

Eu, que na febre de meu desejo ardo ao seu contato
Deslizo suavemente minhas mãos trêmulas pelo seu dorso
Antecipando cada toque sobre sua roupa

Eu, que no silêncio de teus olhos bebo todos os teus gostos
Lambo teus peitos num desvario que te fraqueja as pernas
Enquanto me rasga as costas lubricamente em busca de ar

Eu, que não encontro resistência sigo viagem em seu relevo
Quando você me detém entre suas pernas mantendo-me prisioneiro
Tenho tesão no teu gosto, no teu gozo, no teu cheiro…

Eu, que não encontro as tintas pra pintar o quadro que tua beleza me traz
Eu, que sinto teu prazer deleitando-me em teu gozo que me apraz
Eu, que beijo seus lábios dentro de ti sob mim

Eu, que me refaço em seu abraço
Eu, que já te decorei cada traço
Eu, que somente no sândalo do teu suor é que abasteço meu cansaço
e sempre te digo sim!

Você, que é o único remédio para aplacar a fúria de minha libido
Você, que me enlaça com todo tesão
Em nosso delírio, onde nada é proibido!
Onde adormecemos a razão

Você, que eu amo com todas as letras
Você, que sofregamente me implora pra te fazer o que eu quiser
Você, que não enxerga a certeza de que te quero pra sempre como minha mulher!


por Ariston Sal Junior

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: