Declaração II (Dia dos Namorados)

Posted in Poesia by Sal on 12/06/2008

Agora com escassas palavras
E uma mirrada poesia
Vou tentar agradecer a tua força
Quero quebrar o meu espelho
Pra te contar o que nunca te cantei

Mesmo de brincadeira
Tornarei sério nosso destino
Não quero ser tua ferramenta
E sim fazer parte da sua existência

Deixa o teu corpo
Entregue aos meus desejos
Esquece o que deu errado no passado
Pois no nosso tempo
O amor não vai passar

Te entreguei meu coração dilacerado
E ao teu modo você o reconstituiu
Me livrou de todo medo
Mudou os planos pra me mostrar o mundo
E já na primeira vez me fez forte

Você me fez sentir o gozo da paixão
Em teus braços
Me mostrou a sorte
De um amor sem corte

Todo meu desespero cai por terra
Toda vez que vejo teus olhos
Minha maior ambição é te dar amor
Sempre!
A meu ver
Minha paixão foi bem vista
Antes d’eu pedir carinho
Você me deu amor
E antecipou o prazer em cada toque do meu corpo

A meu ver
A solidão se afastou de mim
Antes d’eu te ter
Já te desejava
Você antecipou o prazer em cada toque que eu sonhava

Sinto paz quando estou perto de ti
E já não temo nada
Nem o medo de te perder
O confronto com o mundo
É mais gostoso com você

Você já faz parte da minha vida
Não duvido
Hoje você veio tirar minhas dúvidas
E caminhar lado a lado com meu carinho

Quero te fazer dormir no calor de qualquer verão
No meu cansaço
Quero me refazer em tuas mãos

Em teu corpo
Grudados num abraço
Batemos em um só coração

Vem deitar comigo na varanda
E todos os nossos pecados serão perdoados
O nosso leito foi feito do nosso jeito
Nosso amor é perfeito
Convivemos bem com nossos defeitos
E contigo no meu peito
Eu vi o amanhã brilhar

Enlouquecendo a minha lucidez
Você dançou pra mim de madrugada
Uma dança inocente
Me fascinou com teu jeito indecente
Me amou de uma forma cadente
E ainda me surpreende sempre

Agora terei minha vida inteira pra te contar aventuras
E sonhar loucuras inteiras vividas
Pra te dar amor
“Todo amor que houver nessa vida”

Aprendi contigo
A te ensinar muita coisa
Todas as incertezas
Me mostram um meio de te amar cada vez mais
Quero te dar forças pra encontrar em ti
Um meio de me fortalecer
Em cada esquina eu te beijo
E desejo sempre contigo viver

A todo momento
O sofrimento me faz sorrir
É que cada sentimento
Mesmo sendo lento
Me leva até dentro de ti
O simples fato de te amar já me faz feliz!
Hoje a minha alegria não tem nenhuma tristeza
E até nossas mentiras são verdadeiras
Você que é metade de mim
Ilumina o meu dia
E a saudade de ti agora é a minha euforia

Sigo os meus dias rindo a toa
Pois hoje, mesmo distantes
Somos uma só pessoa!

(Daniela, uma menina que apareceu na minha vida nem sei bem de onde, nem pq. Mas surgiu para impor sua marca, sua personalidade sem se preocupar com a opinião dos outros. Me encantou, me encanta, me surpreende sempre e torna os meus dias sempre mais claros e mais leves. Sempre em paz, com um sorriso que ilumina a todos que o contemplam, essa menina batizada Daniela sorri por inteiro e de seus olhos entendemos o significado de SER FELIZ! Ela possui os olhos mais doces que eu já vi em toda minha vida. Detentora de uma elegãncia genuinamente feminina e que não encobre a sua fibra, a sua garra e determinação. Como uma típica taurina, ela já nasceu sabendo combinar um sapato com um vestido. Sua intuição é grande e ela sabe como usá-la muito bem. Generosa, dinâmica, trabalha pesado para conquistar seus objetivos e jamais deixa-se abater. Seus amigos devem agradecer a vida de tê-la como amiga e eu, agradeço a Deus todos os dias, por tê-la como minha namorada!!! TE AMO!!!)

Ariston Sal Junior
Que dedica essa poesia para Daniela, o grande Amor de sua vida

Pra Te Compor

Posted in Literatura, Relato by Sal on 12/06/2007

Por Sal para Dani

Pode até soar engraçado
Eu tentando lhe dizer num tom sóbrio
O quanto gosto de você

Meio perdido em palavras
Um bocado atrapalhado
Seria mais fácil por telepatia você entender

Já havia tentado poesia, canções de amor…
Mas não encontrei nas artes a via
A melhor tradução para te compor

Tentei me inspirar em Drummond,
Em Neruda
E até mesmo no velho Vinícius e seus sonetos
Até estava indo bem no início,
Mas cedo vieram os tropeços pra declamar seus olhos
E esse brilho que me entorpece

Embalei-me nas canções do Roberto
Aprendi nas canções do Chico
Mas você sabe… Tem coisas que a gente esquece

E mesmo num filme do Almodóvar,
Ou uma adaptação de Shakespeare pelo Zefirelli
Nenhum argumento do Charlie Kauffman,
Nem De Niro num Scorsese,
Ou Brando num Bertollucci,
Nenhum efeito de Lucas com um final do Spielberg…

Não há roteiro para te filmar
Não há seqüência para te rodar
Não há letra para te cantar
Não há música para te tocar
Não há poesia para te exaltar

Pois todas essas manifestações reunidas
Por mais inspiradas e mais expressivas
Ficarão em débito, com uma eterna dívida…
Para definir o que é te amar!

 

Ariston Sal Junior
Que é romântico à moda antiga, do tipo que ainda manda flores

 

Tagged with: , ,