Watchmen – E se…

Posted in Artigo, Cinema by Joel Minusculi on 09/03/2009

… Watchen tivesse outro diretor? Parte da crítica especializada usou como argumento a pouca experiência de Zack Snider para dirigir uma das mais influentes Grafic Novel dos anos 80.  Confira abaixo algumas “realidades alternativas”.

Woody Allen
Allen apresentaria uma comédia romântica, em que um rico dermatologista Dr. Herbert Manhattan (Allen) sofre um acidente e se torna uma aberração azul. A partir disso, a história será focada com a sua pele azul e onipotência afetam seu relacionamento com a bela, mas descuidada, importadora de sedas Laurie Juspeczyk (Scarlett Johansson).

Judd Apatow
Os Watchmen não têm agindo como heróis ultimamente. Na verdade, eles passam a maior parte do tempo assistindo TV em seu apartamento em Los Angeles. Eles são o mais próximo de amigos um dos outros, mas quando uma ameaça nuclear é iminente, eles colocam as brincadeiras de lado para tentar salvar o mundo. Estrelando Paul Rudd como Dr. Manhattan, Seth Rogen como “Corujão”, Jonah Hill como Rorschach, e Michael Cera como o Comediante. Kristen Wiig aparece no papel de Espectro.

Quentin Tarantino
Se Jackie Brown foi uma homenagem aos filmes noir dos anos 70, Kill Bill aos filmes de kung fu e Death Proof foi aos de estio Grindhouse, Quentin Tarantino faria aos Watchmen uma homenagem ao conjunto de influências estéticas formativa : os desenhos animados dos anos 70. Em quatro episódios de meia hora, os Watchmen teriam novos amigos, como o detetive mirim Danny Boy e seu fiel cachorrinho. Tudo para descobrir e combater um plano maligno de alienígenas que pretendem destruir um parque nacional. Seria mais ou menos como os desenhos de Hanna Barbera.

Sofia Coppola
O ano é 1985. Os soviéticos se aproximam da fronteira afegã. As forças americanas estão em DEFCON 2. O apocalipse nuclear apocalipse está próximo. E, na cidade de Nova York, com as muitas gangues de rua e o pavor no ar, Ozymandias (Jason Schwartzman) e Espectro (Kirsten Dunst) saem para espairecer em uma última noite de karaokê e boates. Até que acontece um tiro que é o ponto central dramático, enquanto o mundo ao redor começa a desabar aos poucos.

Pedro Almodóvar
O diretor espanhol surpreenderia Hollywood ao mostrar um filme sobre os Watchmen forte, único e surpreendente, mas com algumas modificações da história original: os Watchmen se tornariam Watchwomen, formado por um grupo de mulheres independentes que tem que fazer tudo sozinhas, mas se unem por ver que é mais vantajoso. Os papeis seriam: Salma Hayek como Rorschach, Penélope Cruz como Coruja, Michelle Yeoh como Ozymandias, Julianne Moore como Dr. Manhattan e Sophia Loren como a Comediante. Gael García Bernal seria o travesti com fetiche por roupas de látex, como Espectral.

Joel Minusculi
Que traduziu o artigo da revista americana Slate

Anúncios
Tagged with:

Watchmen – A Crítica

Posted in Cinema, Opinião by Joel Minusculi on 08/03/2009

Esqueça Batman, Homem-Aranha ou Super-Homem. Essa história não é simplesmente o esquema do “mocinho que enfrenta vilão para salvar o dia”. Além disso, a forma de apresentação da grafic novel escrita por Alan Moore e ilustrada por David Gibbons, que serviu de base para o filme, foi considerada “infilmável” por muitos fãs da nona arte. Não bastasse, foram quase vinte anos até que a idéia saísse do papel, passasse por brigas judiciais pelos direitos autorais e fosse parar nos cinemas. Porém, agora, os vigilantes de Watchmen (Watchmen, 2009) estão sob o olhar do mundo inteiro.

No filme é mostrada uma versão alternativa da América: Richard Nixon é eleito pela terceira vez, ao mesmo tempo em que os Estados Unidos venceram a Guerra do Vietnã (com a ajuda do Dr. Manhattan) e a Guerra Fria está a ponto de se tornar bem quente com as ogivas nucleares da União Soviética. Para piorar, o presidente institui um ato que proíbe qualquer justiceiro mascarado de atuar, principalmente depois dos problemas com os Minutemen. Enquanto isso, um antigo herói e arma do governo, o Comediante, é assassinado. Mas dessa aparente ocorrência policial comum, o antigo companheiro Rorschach vê uma trama de conflitos e conspirações que vai além de somente uma morte.

Das três tramas que fazem parte da grafic novel original, somente o conflito dos Watchmen foi mantida. Uma delas, os quadrinhos dentro do quadrinho dos Contos do Cargueiro Negro, vai ser lançados em forma de animação direto em DVD. Já a cronologia dos Minutemen, os antecessores dos Watchmen, é resumida de forma muito criativa e original nos créditos iniciais. Essa seqüencia, de pouco mais de cinco minutos, mostra do auge a decadência do primeiro grupo de heróis que fizeram parte dos grandes fatos históricos dos Estados Unidos.

Watchmen não é um filme de heróis convencional. Os vigilantes com grandes poderes são afetados pela sua responsabilidade. Tanto, que só o perfil psicológico de cada um renderia um estudo de caso. O elenco de atores pouco conhecido consegue passar a carga de dramaticidade de seus personagens, apesar de ser mostrado pouco da história pessoal de cada um. Quem não conhece os personagens pode ter um pouco de dificuldade para entender suas motivações. O filme também não é para qualquer um ver: cenas de violência, carnificina, ossos expostos, sexo, estupro e pouca consideração com a humanidade fazem parte da trama – para se ter uma idéia, a classificação do filme no Brasil é de 18 anos.

Para essa que é uma das mais audaciosas adaptações dos cinemas, os produtores de Hollywood apostaram em alguém que já se saiu bem em outro filme do gênero. Zack Snyder repete a fórmula usada em 300 e imprime seu estilo ao transformar quadrinhos em cenas. Ao exemplo do que fez com os espartanos, Snyder usou os desenhos de Gibbons praticamente como um storyboard, em uma fidelidade impressionante de poses e cenários. Também como na batalha de Termópilas, o diretor abusou da câmera lenta para valorizar a ação, mas o resultado final é interessante (destaque para o recurso usado na seqüencia da morte do Comediante, no início do filme).

Como outras adaptações para o cinema, o filme Watchmen não consegue passar para a tela toda a complexidade da trama criada por Alan Moore (tanto, que o autor não quis seu nome nos créditos). Não bastasse, o desfecho foi alterado, o que imprime a reinvenção que muitos diretores de adaptações gostam de arriscar. É uma história que tenta ser o mais fiel possível com a original, para agradar os fãs, e simples, para atingir um público diferente. O resultado final é uma ótima história, que não terá a popularidade que outros heróis tiveram, mas sacia parte dos fãs que esperaram tanto para ver esses heróis em carne e osso.

Joel Minusculi
Que confessa: a primeira vez que leu os quadrinhos não gostou

Tagged with:

Watchmen – Créditos Iniciais

Posted in Cinema, Vídeo by Joel Minusculi on 08/03/2009

A seqüência inicial de créditos de Watchmen é uma das mais criativas dos últimos tempos. Ao mesmo tempo que mostra quem está por trás da produção (sem o nome de Alan Moore, claro), resume uma das histórias paralelas da Grafic Novel. Confira na imagem abaixo (ou no vídeo do Youtube, caso não tenha sido retirado ainda):

Ao som de “The Times They Are A-Changin” de Bob Dylan, vemos o auge e decadência dos Minutemen, além do contexto histórico que será seguido pelo resto do filme.

Joel Minusculi
Que adorou encontrar várias referências históricas ao longo do filme

Tagged with:

Watchmen – Making of Dr. Manhattan

Posted in Cinema, Vídeo by Joel Minusculi on 08/03/2009

Um dos personagens mais interessantes da trama de Watchmen teve um tratamento especial através dos efeitos especiais. O resultado final é surpreendente. Confira como o blue man foi feito.

Joel Minusculi
Que se surpreendeu com a quantidade de detalhes do Dr. Manhattan (inclusive de suas partes baixas…)

Tagged with:

Watchmen – O Filme

Posted in Cinema by Sal on 06/03/2009

watchmen-1719Adaptações para o cinema de obras literárias nem sempre são bem vindas. Quando se tenta transpor para as telonas uma obra criada originalmente para os quadrinhos então, nem se fala. Essas transposições sempre são alvo de críticas negativas, pois os fãs de HQs são os mais exigentes. Mulher-Gato, Demolidor, Elektra, Justiceiro, são exemplos de que a tarefa não é das mais fáceis. Não é sempre que o diretor consegue um grande sucesso de público e crítica como Batman – O Cavaleiro das Trevas, Homem-Aranha ou X-Men. Agora imagina tentar realizar um filme da melhor história em quadrinhos já criada, na opinião de milhões de fãs? Coube a Zack Snyder a difícil missão.

Depois de muitas histórias, muitas idas e vindas e algumas brigas judiciais, que duraram 20 anos, chega às telas de cinema nesta sexta-feira (06) o que muitos julgavam impossível: Watchmen – O Filme. Uma história brilhante escrita por Alan Moore, desenhado pelos clássicos traços de Dave Gibbons, publicada pela primeira vez em 1986. Coube a Snyder conduzir com maestria e manter as idéias originais de Moore e ainda aparar algumas arestas necessárias para tornar a trama, no cinema, mais interessante ainda. Tudo integrado a história. A adaptação é fidelíssima a obra original, mesmo com um final diferente, mas que mesmo assim não devem chatear os fãs mais puristas, pois mantêm a mesma integridade ideológica da clássica graphic novel.

Watchmen é um filme para os fãs da história, feita por um fã que conseguiu incutir nos atores, quase todos desconhecidos do circuitão hollywoodiano, a importância da obra. Snyder corre o risco de ser criticado pelo espectador descompromissado, do fim de semana. Sem querer fazer previsões, haverão talvez muitos que não compreendam o filme, que precisa assim como a história em quadrinho, de uma análise amadurecida sobre a trama (a iminência de uma guerra nuclear em larga escala entre os Estados Unidos e a União Soviética). Mas, caso isso ocorra, não passarão muitos anos para ter o merecido respeito e ocupar o seu lugar de destaque no panteão das grandes obras cinematográficas.

por Ariston Sal Junior
Que considera o Rorschach um dos personagens mais irados dos quadrinhos

https://i2.wp.com/pic.ipicture.ru/uploads/090307/UlAG1FBtvT.jpg

::Download/Stream::

TS STG FILTERED

Part 1 of 4

Part 2 of 4

Part 3 of 4

Part 4 of 4

Tagged with:

Watchmen – Alguns Atores Divulgados Para o Filme

Posted in Cinema, HQ by Sal on 26/07/2007

 

A obra magistral de Alan Moore, Watchmen (série de quadrinhos escrita por Moore e desenhada por Dave Gibbons), e que ganhará versão live-action pelas mãos do diretor Zack “300” Snyder, acaba de ter divulgado uma listinha com parte do elenco.

Foi o Hollywood Reporter quem divulgou a matéria. A boataria, as especulações estão por aí, como é de praxe. E para quem acompanha o andamento dessa história já havia lido em algum canto que os atores Patrick Wilson e Jackie Earle participariam do longa. Pois é, eles aparecem nessa listinha ao lado de nomes como Jeffrey Dean Morgan, Matthew Goode, Billy Crudup e Malin Akerman.

(more…)

Tagged with: , , , ,